Mangueira de Incêndio Industrial TIPO 2 1.1/2” 20 metros
Ref.: 35947


A mangueira de incêndio Tipo 2 Segurimax é o equipamento ideal para o combate a incêndio, pois possui toda a qualidade e confiabilidade necessária que a aplicação exige, qualidade essa atestada... ver mais

Marca: Segurimax

A mangueira de incêndio Tipo 2 Segurimax é o equipamento ideal para o combate a incêndio, pois possui toda a qualidade e confiabilidade necessária que a aplicação exige, qualidade essa atestada pela Certificação UL e a Certificação INMETRO, seguindo à risca as normas NBR 14349 e NBR 11861.

A mangueira Tipo 2 é indicada para aplicação em edifícios comerciais, industriais ou Corpo de Bombeiros, com pressão de trabalho de 1370kPa (14 kgf/cm²).

Possui revestimento têxtil 100% poliéster, tubo interno em borracha sintética e uniões Storz fabricadas em latão.

Todo o processo de fabricação, desde a manufatura do duto da mangueira e das uniões até a empatação e embalagem, passa por rígidos controles de qualidade, garantindo a segurança da instalação e do usuário.

Atenção: Produto comercializado em paletes fechados

 

Conteúdo por embalagem

1 mangueira de incêndio completa, com uma união empatada em cada extremidade

Composição

Mangueira com tubo interno fabricado em borracha, revestimento têxtil 100% poliéster e uniões de latão.

Validade

Indeterminada. Produto não perecível.

Cuidados Gerais com as Mangueiras de Incêndio:

  1. Evitar contato com cantos vivos e pontiagudos;
  2. Evitar manobras violentas de derivantes, entrada repentina de bomba e fechamento abrupto de esguichos, registros e hidrantes que causam golpes de aríete na linha (a pressão pode atingir sete vezes a pressão estática de trabalho, o que pode romper ou desempatar uma mangueira);
  3. Evitar contato com fogo, brasas e superfícies quentes;
  4. Evite arrastar a mangueira e uniões sobre o piso, principalmente se ela estiver vazia ou com pressão muito baixa (isto pode causar furos, principalmente no vinco);
  5. Evitar queda das uniões;
  6. Evitar contato da mangueira com produtos químicos e derivados de petróleo, salvo tipo apropriado para esta finalidade;
  7. Evitar guardar a mangueira molhada. As mangueiras são fabricadas com materiais sintéticos que não são afetados pela água ou presença de fungos (bolor), mas para evitar proliferação desses organismos e odor desagradável, é recomendados fazer o escoamento da água após o uso ou ensaios hidrostático, antes de guardar a mangueira;
  8. Evitar curvamento acentuado da mangueira junto à união, quando em operação;
  9. Não utilizar as mangueiras para algum outro fim que não seja combate a incêndio (lavagem de garagens, pátios etc.);
  10. Para maior segurança, não utilizar as mangueiras das caixas ou abrigos em treinamento de brigadas, evitando danos e desgastes. As mangueiras utilizadas em treinamento de brigadas devem ser identificadas e mantidas somente para este fim;
  11. Evitar a passagem de veículos sobre a mangueira durante o uso, utilizando-se um dispositivo de passagem de nível;
  12. Inspecionar as caixas e abrigos para verificar se eles são adequados para conservação da mangueira;
  13. Após manutenção, retornar ao hidrante mangueira de mesmo tipo, diâmetro e comprimento conforme projeto;
  14. De acordo com o tipo de utilização, as mangueiras podem ser acondicionadas conforme o descrito a seguir:

    - Forma ziguezague deitada: a mangueira em ziguezague deve ser apoiada por um de seus vincos sobre superfícies não abrasiva. Podem ser acoplados vários lances para formação de linha pronta;
    - Forma ziguezague em pé: a mangueira em forma ziguezague deve ser posicionada na vertical sobre ela própria.
    - Forma aduchada: consiste em enrolar a mangueira previamente dobrada contra ela mesma, formando uma espiral a partir da dobra em direção às extremidades. Recomenda-se esta forma de acondicionamento nas caixas de hidrante.

  15. A mangueira aprovada para uso deve ser armazenada em local ou compartimento seco e ventilado, protegida da incidência direta de raios solares e atmosferas agressivas, tais como vapores de derivados de petróleo, vapores ácidos etc.;
  16. Antes de pressurizar a mangueira, verificar se as uniões acoplaram totalmente (cerca de um quarto de volta para uniões tipo engate rápido).
  17. As mangueiras consideradas condenadas e descartadas por profissional capacitado, devem ser substituídas por mangueiras de mesmo tipo, diâmetro e comprimento;
  18. Para armazenagem da mangueira, recomenda-se a mesmo posição a qual ela é vendida (aduchada).

 

Inspeção e Manutenção da Mangueira de Incêndio:

Segundo a NBR 12779: Mangueira de Incêndio – Inspeção, manutenção e cuidados, todas as mangueiras devem ser submetidas a inspeção a cada 6 meses e manutenção a cada 12 meses.

A edificação ou área de risco NÃO pode ficar sem mangueiras durante inspeção e manutenção.

A mangueira, após usada em combate, deve ser encaminhada para manutenção.

O serviço de inspeção e manutenção deve ser realizado por empresa capacitada. Após primeira manutenção, essa empresa é responsável por colocar uma identificação visual e individual na mangueira, exibindo o nome do executante, data de ensaio e validade (12 meses).

Deve ser emitido um relatório pela empresa capacitada, evidenciando que a mangueira está apta para uso. Tal relatório deve ser mantido, pois pode ser exigido pelo corpo de bombeiros, companhia de seguros ou Prefeitura. A ausência de tal documento pode implicar na não indenização em caso de sinistro.

CaracteristicaDescrição
Aplicação Edifícios de ocupação comercial, industrial e corpo de bombeiros
Pressão de trabalho 14 kgf/cm² (1370 kPa)
Pressão de prova 28 kgf/cm² (2745 kPa)
Pressão de ruptura > 42 kgf/cm²
Perda de carga aproximada 6,5 kPa/m (para diâmetro nominal 1 1/2" - 40 mm)
3,3 kPa/m (para diâmetro nominal 2 1/2" - 65 mm)
Temperatura de operação recomendada -10°C a 50°C
Material Revestimento externo 100% poliéster, tubo interno borracha
sintética e conexões Storz em liga de latão
Garantia 1 ano
Normativas Aplicadas NBR 11861:1998
NBR 12779:2009
NBR 14349:1999
Certificação UL e INMETRO